A quatro meses da realização do Afrobasket 2017 Congo Brazzaville anunciou a sua indisponibilidade para acolher a prova africana [Saiba Mais Aqui] || PORTAL HIP HOP EM DIA - PORTAL HIP HOP EM DIA

Post Top Ad

16 de abril de 2017

A quatro meses da realização do Afrobasket 2017 Congo Brazzaville anunciou a sua indisponibilidade para acolher a prova africana [Saiba Mais Aqui] || PORTAL HIP HOP EM DIA



A quatro meses da realização do Afrobasket 2017, o Congo Brazzaville anunciou a sua indisponibilidade para acolher a prova africana.

 Razões económicas e financeiras estão na base da decisão do Governo congolês, que deixa a Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) em apuros.

 A FIBA-África terá que encontrar outro país para sediar a prova. Estão já apurados Angola, Camarões, Costa do Marfim, Egipto, Mali, Marrocos, Moçambique, Nigéria, a República Democrática do Congo, Senegal, Tunísia e Uganda. A organização ficou de decidir entre a África do Sul e o Zimbabwe, para completar o quadro de participantes, mas surge agora o Congo, que tinha presença garantida na qualidade de país organizador, mas que agora está por se saber se participa noutro país a ser designado pela FIBA-África. 

Medalha de prata no último Afrobasket na Tunísia, perdendo a final frente à Nigéria, Angola disputou em Março o zonal de apuramento para a prova africana. O torneio foi disputado em Lusaka, capital da Zâmbia, e serviu para dar rodagem competitiva aos atletas angolanos, agora sob as ordens do técnico Manuel Silva “Gi”. 







O torneio de apuramento é disputado por três equipas. Mesmo sem as suas principais referências do momento, a equipa nacional triunfou, primeiro, diante da África do Sul (87-51) depois, frente à selecção anfitriã, por 79-54. Gi levou para Lusaka Gerson Gonçalves, Reegie Moore, Leonel Paulo, Armando Costa, Hermenegildo Santos, Islando Manuel, Felizardo Ambrósio, Milton Barros, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas, Valdelício Joaquim e Fidel Capita. Apesar da indefinição quanto ao país que vai acolher o Afrobasket, Angola aposta na reconquista do título africano e no passe para o Mundial da modalidade. Seguramente que, de 19 a 30 de Agosto, o plantel poderá contar com os melhores executantes a evoluir no BIC Basket e ainda Yannick Moreira e Carlos Morais, que são as duas principais referências do basquetebol angolano a evoluírem no exterior do país. Também técnico dos sub-18, foi campeão africano, Manuel Silva “Gi” assumiu a selecção nacional após renúncia de Carlos Dinis, dias antes do início do Torneio de Apuramento disputado na Zâmbia. A jogador do Petro de Luanda, Manuel Silva “Gi”, que já passou pelo basquetebol português, também técnico-adjunto do Petro de Luanda

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Bottom Ad